17 de jan de 2009

Viver é preciso. Navegar? Não, obrigado!

Ao contrário do que disse Fernando Pessoa “Navegar é preciso, viver não é preciso” tá complicado fazer um cruzeiro marítimo no Brasil. Conforme eu já havia comentado no post "Baby let's cruise away from here" já haviam morrido três pessoas a bordo dos navios de cruzeiro da MSC.

Agora morreu mais um. Desta vez foi a bordo do navio norueguês
"Sovereign of the Seas" de propriedade da Royal Caribbean International, operado pela operadora de cruzeiros espanhola Pullmantur e comercializado pela CVC no circuíto brasileiro.

Do Terra

O passageiro Diego Mendes de Oliveira, 26 anos, morreu por volta da 1h, a bordo do navio Sovereign, operado pela empresa espanhola Pullmantur e fretado pela CVC, que navegava pelo litoral sul de São Paulo. Depois de sete noites de viagem, o cruzeiro chegou ao porto de Santos neste sábado.

Segundo a assessoria da CVC, o rapaz morreu por insuficiência cadíaca, no centro médico do navio. Oliveira havia sido atendido três vezes pelo médico da embarcação, apresentando febre, vômitos e vermelhidão no corpo.

Depois de ter melhorado, o passageiro teve uma parada respiratória no terceiro atendimento e foi levado para o centro médico, onde foi tentada reanimação cardio-avançada, sem sucesso.

A assessoria da CVC descarta a possibilidade de infecção alimentar, pelo fato de outros passageiros não terem passado mal. Havia 2,3 mil passageiros a bordo. Ainda de acordo com CVC, Oliveira teria começado a apresentar os sintomas depois de comer uma ostra, quando o navio parou em Salvador.

Sovereign of the Seas


A bruxa do mar está a solta. Ou o deus do mar (Poseidon pros gregos, Netuno pros romanos) tá brabo.

Nenhum comentário: